Análise financeira: entenda a importância e saiba como fazer!

Compartilhe:

Analisar as informações dos demonstrativos financeiros de uma empresa é uma das maneiras de aferir seu desempenho. E isso não é tudo. Além dos números apresentados nos principais documentos, como balanço patrimonial, demonstrativo de resultados e de origem e aplicação de recursos, outros dados são igualmente importantes.

Por meio da análise financeira, obtida também com base em diferentes indicadores, é possível medir de forma mais precisa o desempenho da empresa. E todo gestor que deseja conduzir um negócio com sucesso deve se familiarizar com a análise financeira, independentemente de seus objetivos (operacionais, administrativos, estratégicos ou comerciais).

Quer saber mais sobre o assunto, além de aprender a fazer essa análise na sua organização? Então acompanhe os tópicos a seguir e entenda a importância de fazê-la corretamente!

O que é análise financeira?

A análise financeira é o esforço dedicado à compreensão das finanças do empreendimento. Ela ajuda a identificar fragilidades e prevenir problemas em curto, médio e longo prazos. As informações obtidas nesse processo auxiliam as tomadas de decisão relativas à correção de problemas de liquidez e fluxo de caixa.

Toda ação realizada na empresa (operacional, administrativa, técnica ou comercial) tem reflexos em sua estrutura e em seu desempenho econômico e financeiro. Entender essa premissa é essencial para quem deseja conduzir os negócios com sucesso.

É a análise financeira que permite compreender a viabilidade de um negócio com base na avaliação da sua estabilidade e capacidade de geração de lucro. Por isso, deve ser uma ação gerencial estratégica constante no empreendimento feita a partir do planejamento e do monitoramento de fatos e resultados.

Como fazer a análise financeira?

Avaliar a saúde financeira da empresa e prever seu desempenho futuro são, portanto, ações essenciais. Assim, manter os indicadores financeiros da organização sempre atualizados é fundamental. Por isso, é crucial entender como utilizar a análise financeira na empresa.

O primeiro passo é definir quais indicadores vão ser usados. É a partir deles que se tem acesso a números e dados concretos que demonstram a real situação financeira do empreendimento. Com isso, a administração da empresa fica mais simples e segura, pois as tomadas de decisão permitem ajustar os resultados insatisfatórios.

Quer saber quais indicadores usar? Acompanhe, a seguir, uma lista de indicadores importantes para a análise financeira de um empreendimento.

Faturamento periódico

Com o faturamento periódico é possível conhecer e acompanhar as vendas realizadas no dia a dia. Assim, o gestor pode ter ciência sobre o que, quanto e para quando os itens são comercializados.

Custos fixos

Conhecer quais são e quanto os custos representam para a manutenção e a existência do negócio é essencial. O acompanhamento dos custos fixos deve ser regular, assim como as ações para minimizá-los.

Custos variáveis

É importante conhecer quais são os custos que estão diretamente relacionados ao volume de vendas, fruto da revenda, da industrialização ou dos serviços prestados pela companhia. Eles são os custos variáveis. Fazer com que os custos fixos se transformem em variáveis deve ser um dos objetivos estratégicos de toda organização.

Margem de contribuição

Corresponde a um índice que possibilita a realização de análises de viabilidade, ponto de equilíbrio, lucratividade e avaliação de novos projetos. Quanto maior esse índice, mais fortalecida a saúde financeira da organização.

Lucro operacional

O lucro operacional corresponde ao resultado final, depois de deduzidos todos os custos variáveis e fixos do período.

Preço de venda

Definir o preço de venda deve ser mais do que uma ação técnica. É importante que seja também estratégica e leve em consideração os fatores de lucratividade, competitividade e posicionamento de mercado.

Fluxo de caixa

Não se trata somente da elaboração do fluxo de caixa com base nas informações operacionais, mas sim da projeção estratégica com base em negociações de compra e de venda, bem como da estrutura de custos fixos. Isso é essencial para que haja equilíbrio financeiro e saldos continuamente positivos.

Análise financeira de crescimento

A análise financeira de crescimento se refere ao acréscimo patrimonial da organização, representado pela análise do patrimônio líquido. Entretanto, vale lembrar que aumento no espaço físico da empresa e nos volumes de estoque não representam, necessariamente, crescimento.

Ou seja, ao fazer a análise financeira de um negócio, a gestão não deve confundir o crescimento físico com o econômico. Isso pode tornar irreal o resultado obtido na análise.

Indicadores econômicos

Expressos por meio de índices, os indicadores econômicos servem para revelar a saúde da empresa e viabilizar comparativos de desempenho entre períodos distintos. Isso é essencial para que os gestores possam avaliar o resultado atual em relação a outros períodos históricos.

Apresentamos, a seguir, alguns dos indicadores econômicos aos quais o gestor deve estar atento para conhecer as variáveis envolvidas em seu dimensionamento.

Índice de liquidez

Nem sempre uma empresa que tem boa situação financeira em longo prazo apresenta o mesmo perfil no curto prazo — isso porque pode ter obrigações com vencimento próximo, por exemplo. A apuração desse dado ocorre por meio da liquidez corrente, que relaciona o ativo e o passivo circulantes. Esse indicador corresponde, então, a uma referência importante da longevidade da empresa.

Quando ele é negativo, deve ser avaliado em conjunto com outros indicadores para que seja possível determinar o caminho a ser seguido ou as medidas a serem adotadas. Como o índice de liquidez permite avaliar até quanto a companhia pode arcar com suas obrigações, é extremamente importante calcular e avaliar os indicadores de liquidez corrente e geral.

Além da liquidez corrente, outros indicadores de liquidez incluem:

Índice de rentabilidade

Demonstra o volume de atividade necessário para que a organização atinja um nível de rentabilidade satisfatório. Um bom exemplo é a margem operacional, que compara o resultado operacional com o volume total de vendas.

Dessa forma, se a empresa vendeu R$10 milhões e obteve um resultado operacional positivo de R$2 milhões, sua margem operacional é de 20%.

Índice de atividades

É o que ajuda a controlar o fluxo de caixa do dia a dia. Quando se refere ao prazo médio de recebimento, representa a quantidade média de dias que a organização tem de esperar para receber pelas vendas que fez. Já em relação ao pagamento, ela tem como base o número médio de dias que a organização leva para liquidar suas dívidas com fornecedores.

Índice de estrutura de capital (ou endividamento)

O objetivo desse indicador é verificar o endividamento da empresa e o impacto que as dívidas causam na saúde financeira do negócio. Ele avalia a proporção do capital da organização que está comprometida com obrigações e o quanto de capital de terceiros (fornecedores, bancos e afins) é utilizado para manter o negócio.

Além disso, mede a capacidade da companhia de pagar suas dívidas (principais e encargos) sem comprometer a rentabilidade e o fluxo de caixa. É sempre importante estar atento ao endividamento do patrimônio: um índice muito elevado pode comprometer o caixa e dificultar os investimentos necessários para o crescimento.

De forma geral, a análise financeira é a chave para o sucesso do negócio, pois ajuda a respaldar decisões de cunho estratégico, tático e operacional. Assim, é essencial estudar o empreendimento e definir os melhores indicadores para avaliar seu desempenho de forma periódica e, assim, agir sempre que necessário para mantê-los equilibrados.


E agora? Percebe a importância da análise financeira para o sucesso do negócio? Se sente capaz de desenvolver alguma das métricas propostas? Não se preocupe, havendo alguma dúvida, basta deixar um comentário!

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.