Você sabe o que são e para que servem os módulos do ERP?

modulos-do-sistema-de-gestao-erp-para-que-servem-blog-mxm-01Atualizado: 29/08/2017

Os módulos ERP (Enterprise Resource Planning) correspondem a um sistema que viabiliza o planejamento da empresa, abrangendo diferentes áreas de operação.

Em síntese, é um Sistema de Gestão Empresarial que, por meio de uma série de recursos informatizados, auxilia na administração dos mais diferentes processos das organizações.

Um importante princípio do ERP é otimizar o fluxo de informações, munindo o gestor com dados precisos e de qualidade.

Isso porque, basicamente, um sistema de ERP coleta e organiza informações em diferentes níveis, oferecendo em tempo real indicadores de desempenho que subsidiam a tomada de decisão por parte da administração.

Quer entender melhor o assunto? Então, continue a leitura deste post!

Conheça os módulos do ERP

Sendo um sistema para a gestão empresarial, o ERP funciona organizando informações multissetoriais de toda a empresa.

Uma de suas principais características é ser um sistema modular, ou seja, uma plataforma que trabalha por meio de agrupamentos de funcionalidades.

De modo geral, esses módulos podem ser classificados em: operacionais, táticos e estratégicos.

Módulos operacionais

Os módulos operacionais são aqueles dedicados às atividades rotineiras da empresa. Isto é, são responsáveis por oferecer apoio à gestão dos departamentos envolvidos nas operações do dia a dia do negócio. Podem ser subdivididos em horizontais e verticais.

Os módulos horizontais mais comuns são:

Módulos verticais

Já os módulos verticais são aqueles concebidos para setores de mercado específicos. Ou seja, nichos em particular que, dada a sua especificidade, apresentam algumas características em comum com as demais empresas do mesmo segmento, por exemplo:

Módulos estratégicos e táticos

Como o próprio nome diz, são aqueles desenvolvidos para auxiliar na gestão estratégica da empresa. Os recursos disponíveis nesses módulos auxiliam os gestores na análise de informação, oferecendo subsídios para uma melhor tomada de decisão.

Em síntese, os módulos estratégicos e táticos têm o objetivo de:

Vantagens dos módulos do ERP

Existem diversos fatores que justificam o investimento em uma solução ERP, dentre eles:

1. Maior controle e padronização de processos

Quando a emissão de relatórios, a geração de notas fiscais, o relacionamento com o cliente e demais operações são organizadas e padronizadas dentro do ERP, a empresa otimiza o tempo antes desperdiçado em ações manuais e, consequentemente, melhora a produtividade.

2. Identificação de ofensores

Quando se têm todos os processos gerenciados em um único software, fica muito simples enxergar quais são os gargalos que o impedem de atingir melhores resultados.

Desse modo, a intervenção gerencial se torna mais rápida e inteligente, reduzindo drasticamente os erros em diversos níveis da organização.

3. Redução de estoque

No passado, era comum comprometer grande parte do orçamento na aquisição de mercadorias para assegurar um preço mais baixo de produção ou revenda.

Porém, a inteligência de informação proporcionada pelos softwares ERP viabilizam a redução de grande parte dos custos para formar o estoque, isso sem comprometer a estratégia de adquirir os produtos e matérias-primas com preços menores.

4. Redução de mão de obra

Como é comum acontecer quando se têm processos automatizados e agilizados, é possível reduzir exponencialmente os gastos com recursos humanos. Afinal, muito daquilo que era passível de erro e que demandava mais tempo ao ser feito por um colaborador, passa a ser executado de forma automatizada e confiável via sistema.

Escolhendo o melhor ERP para a empresa

Ao longo desse post, tem sido possível perceber que a escolha e implementação de um sistema ERPcorresponde a um investimento sério, devendo ser planejado com muita cautela.

Contudo, diante das diferentes soluções disponíveis no mercado, é natural que o gestor se veja confuso quanto a escolher a melhor solução para o seu negócio. Por exemplo, se tratando do Brasil, existem inúmeras empresas especializadas em ERP com boa aceitação.

Dessa forma, muitas perguntas vêm à tona no momento em que se confronta com a necessidade de decidir sobre o melhor sistema de ERP. Garantir que a ferramenta escolhida é a melhor para o negócio, aliada ao melhor preço, é um dos desafios que o gestor enfrenta.

A verdade é que não existe fórmula que possa ser aplicada por todas as organizações, a fim de embasar as suas escolhas. Mas, a seguir, são descritas várias iniciativas que podem ser úteis nessa desafiadora missão:

As especificidades do negócio

O primeiro ponto é entender com clareza quais são as demandas da companhia em relação ao ERP para assim definir aquilo que é, de fato, prioritário.

Feito isso, a organização passa a ter um caminho a seguir. E para chegar a essas conclusões, estratégias como a de convocar reuniões com gerentes dos departamentos e com as equipes que exercem funções mais críticas podem se mostrar muito eficientes.

Com base nessa premissa, fica muito mais fácil analisar as soluções oferecidas por fornecedores de ERP. Sobre esse aspecto, é necessário avaliar as propostas feitas por cada um, sendo que, em primeiro lugar, deve-se considerar somente aquelas capazes de satisfazer as demandas anteriormente identificadas.

Também não seria exagero verificar quais dessas organizações apresenta experiência suficiente no fornecimento desses sistemas para o ramo de atuação da companhia, assegurando assim a qualidade da solução.

Recursos disponibilizados e customização

Considerando que a solução e os respectivos módulos ERP devem ser “moldados” à empresa, é fundamental conhecer quais as tecnologias que o fornecedor oferece em seus sistemas.

Com isso, é possível ter uma compreensão mais clara dos custos que deverão ser aplicados em infraestrutura, atualização, capacitação da equipe, dentre outras variáveis.

Ainda nesse aspecto, convém também avaliar a capacidade de integração do sistema, a possibilidade de implementação de outros módulos ERP futuramente, os recursos de segurança, compatibilidade com plataformas distintas e, finalmente, o potencial de customização da solução.

Esse último é ainda mais importante quando a empresa conta com muitas particularidades, fugindo ao padrão de operação da maioria dos negócios. Se essa for a realidade da organização, uma solução flexível costuma ser a melhor opção para esse tipo de companhia.

Opções de suporte e atualização

As condições de suporte e manutenção fornecidas pelos provedores são características muitos importantes e questões que devem ser verificadas logo no início da avaliação do sistema ERP.

É natural que o software demande por atualizações ao longo dos anos para eliminação de erros, implementação de melhorias, adaptação a novas regras ou regimes (nova regra tributária, por exemplo), otimização de segurança, dentre outras atualizações.

Isso sem mencionar as dúvidas que podem surgir para operar a ferramenta, necessitando, assim, de auxílio do fornecedor. Por exemplo: um determinado profissional pode precisar de suporte para gerar um relatório com determinadas informações gerenciais.

Agora que já sabe o que são e para que servem os módulos ERP, que tal baixar esse e-book? Com ele você fica ainda mais esclarecido sobre como o potencial desse incrível ferramenta!

Mídia Social:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *