O que muda com o Bloco K do SPED Fiscal em 2017?

O que muda com o Bloco K do SPED Fiscal em 2017?
Compartilhe:

Do ponto de vista tributário, poucas coisas se tornaram tão polêmicas nos últimos anos como o Bloco K. Exigindo que as empresas passem a apresentar demonstrativos completos de produção, como ao indicar perdas e itens produzidos, essa é uma obrigação que sofre resistência desde o seu anúncio.

Recentemente, a insatisfação com essa obrigação garantiu a ela um novo adiamento, agora, para 2017. Com isso, confira a seguir o que muda com o novo prazo do Bloco K do SPED Fiscal.

Os motivos da prorrogação

No final de 2015, foi anunciado que a exigência do Bloco K do SPED Fiscal seria adiada de 1° de janeiro de 2016 para 1° de janeiro de 2017. Esse adiamento diz respeito às primeiras empresas que seriam obrigadas a se submeter a essa nova obrigação tributária, ou seja, as empresas maiores.

O fato é que essa é a segunda prorrogação que o Bloco K sofre, já que, inicialmente, o esperado é que ele começasse a valer em 1° de janeiro de 2015. Nesse sentido, um dos maiores fatores para a prorrogação foi a pressão empresarial.

Desde que foi anunciado, o Bloco K sofre protestos por parte dos empresários tanto pela dificuldade que ele imprimirá sobre o controle da produção quanto pelo risco de os segredos industriais serem revelados.

Além disso, a crise econômica experimentada por toda a economia brasileira em 2015 também foi um fator que justificou o adiamento, já que a maioria das indústrias está passando por situações de revés com baixa no faturamento e na produção, levando a demissões.

Como o Bloco K exige um gasto maior, ao menos inicialmente, o primeiro setor ficaria mais onerado para cumprir essa obrigação ainda em 2016, o que poderia prejudicar ainda mais a engrenagem da economia. Com a previsão de melhora na economia em 2017, o adiamento surge como uma possibilidade de garantir que as empresas possam cumprir essa obrigação em um momento mais favorável economicamente.

fale com a mxmAs mudanças com a prorrogação

Apesar de prorrogado, o Bloco K ainda vai acontecer, o que significa que as empresas precisam se preparar mesmo assim para que possam absorver as novas exigências. Apesar disso, a prorrogação traz algumas modificações importantes, como, por exemplo:

  • Mais tempo de planejamento

Como as empresas ganharam um ano a mais, existe a possibilidade de estender o planejamento e de avaliar com mais precisão e profundidade a melhor forma de cumprir essa obrigação acessória.

Com mais tempo de planejamento, mais fácil será para que as empresas encontrem a solução mais adequada para a sua realidade, levando a resultados melhores.

  • Implantação assertiva de um ERP

Uma das formas de cumprir com todas as exigências dessa nova obrigação é utilizando um sistema de gestão, como um ERP. Como, agora, a empresa conta com um ano a mais, a implantação desse ERP também poderá ser mais assertiva.

Além de gerar futuros resultados melhores quanto ao cumprimento do Bloco K, o uso do ERP durante o período de adiamento permitirá que a empresa experimente uma melhora na gestão como um todo, tornando a empresa ainda mais robusta para essas modificações.

  • Maior tempo de treinamento e preparação

O adiamento também leva à modificação de que haverá mais tempo para treinamento e para preparação em geral da empresa. Isso significa que os funcionários poderão conhecer muito mais sobre quais são as boas práticas de controle ou como o ERP atua, por exemplo.

Nesse sentido, há menos riscos de a empresa sofrer com um problema de adaptação ou de cumprimento das regras, especialmente se já tiver ocorrido uma preparação inicial para o prazo anterior.

O adiamento da obrigatoriedade do Bloco K do SPED Fiscal em 2017 aconteceu, principalmente, devido à pressão empresarial e também devido à situação econômica do país.

Com essa mudança no prazo, as modificações causadas por ele incluem o maior tempo para planejamento, preparação e adaptação da empresa, o que possivelmente diminuirá o trabalho quando a obrigação estiver valendo.

Você já estava sabendo a respeito desse adiamento? O que você pensa a respeito? Conta pra gente nos comentários.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.