3 erros para evitar na precificação de serviços

erros precificacao servicos 01
Compartilhe:

Mesmo com tantas tecnologias e acesso constante às informações do negócio, a precificação de serviços ainda é um desafio para muitos empreendedores. Isso porque os valores definidos nas negociações devem ser pensados com cuidado, pois eles têm impacto direto no faturamento mensal.

No fim, é indispensável planejar os preços para ter vantagem competitiva e evitar imprevistos financeiros na empresa.

Apesar de todas as marcas estarem sujeitas a deslizes na hora de fazer a formulação de preços, é possível evitá-los. Pensando nisso, elaboramos este post, que apresenta as principais falhas de precificação de serviços. Boa leitura!

Qual a importância de precificar os serviços corretamente?

Precificar de forma correta mantém a saúde financeira da empresa. No entanto, quando essa precificação é feita sem parâmetros, ela pode trazer inúmeros prejuízos, como a atração de clientes com perfil inadequado e afastamento dos clientes que são compatíveis com o seu negócio.

Além disso, uma precificação incorreta impede o crescimento organizacional, pois afeta a gestão financeira estratégica. Isso porque para fazer melhorias em equipamentos, admitir novos colaboradores qualificados ou fazer investimentos em longo prazo é preciso ter mais dinheiro entrando no caixa.

Assim como restringe as estratégias de investir, uma incorreta precificação de serviços pode comprometer o capital de giro. Se os preços não estiverem alinhados às despesas, não sobrará esse capital e, por consequência, será necessário recorrer a empréstimos.

Quais são os principais erros na precificação?

Como mencionamos, ter dúvidas na hora de precificar serviços pode levar a problemas sérios. Mas, mesmo assim, muitos empreendedores fazem essa precificação sem levar em conta alguns fatores. Por isso, separamos os três principais erros cometidos nesse processo. Confira na sequência!

1. Precificar abaixo do custo

Para definir um preço é preciso ser detalhista e realista. Ou seja, trabalhar com todos os dados úteis e concretos para ter noção do custo real dos seus serviços e, assim, definir a margem de lucro ideal.

Isso significa que é preciso considerar as despesas mais notáveis, como os custos para a prestação de cada serviço, e as menos perceptíveis, como os conhecimentos usados para concluir o trabalho. Nesse caso, se houver uma precificação abaixo dos custos, o negócio perde dinheiro ao final da transação.

2. Definir o preço baseando-se nos concorrentes

Deixar de observar a concorrência para definir uma base de preço no mercado é um erro, entretanto, definir um valor apenas em cima dessa informação pode ser pior. Isso porque você não sabe quanto eles pagam para os fornecedores, quais tecnologias utilizam ou os gastos que eles têm com funcionários e marketing.

Justamente por esses fatores não é possível cobrar o mesmo valor que as demais empresas no ramo, uma vez que cada uma tem suas particularidades financeiras. Por isso, priorize os seus aspectos empresariais.

3. Não considerar a percepção de valor do cliente

A percepção de valor diz respeito às necessidades de um serviço que atendem perfeitamente aos consumidores, o que influencia o preço final, podendo esse preço ser maior ou menor.

Por isso, se for mais alto do que o valor percebido pelo cliente, a jornada de compra pode se prolongar, pois o custo sobe, os descontos aumentam, mas a lucratividade é afetada. Porém, se for mais baixo, é possível vender o serviço mais facilmente, mas a margem de lucro é menor, pois você deixa de ganhar dinheiro.

Como evitar esses erros?

Precificar os seus serviços não é uma tarefa difícil, mesmo que pareça. Além das nossas dicas, é possível utilizar um software de gestão integrado para evitar os inúmeros problemas nos preços e aumentar o rendimento da empresa.

Os sistemas de gestão reúnem aspectos que todo empreendedor precisa entender para gerenciar a precificação de serviços de forma descomplicada. Isso porque contam com um banco de dados concreto que permite a visualização do estoque, realização de promoções e a programação dos preços de acordo com o desempenho financeiro do seu negócio.

Enfim, a precificação de serviços exige um acompanhamento cuidadoso, pois há diversos fatores que influenciam a sua formulação, como a personalização do trabalho, os custos operacionais, o mercado, o estoque e muitos outros. Agora, comece a analisar os seus preços e os adapte à sua realidade.

Para continuar aumentando a sua lucratividade, baixe nosso guia definitivo de Business Intelligence e descubra como ele pode aumentar suas vendas:

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.