Entenda já como fazer uma auditoria contábil na sua empresa

Compartilhe:

 

gestão financeira sempre foi essencial para manter a saúde da empresa, e, nos dias de hoje, ela é cada vez mais necessária. Afinal, os registros e controles devem ser feitos de forma adequada porque são essenciais para traduzir a realidade da companhia.

E é aí que uma auditoria contábil pode ser bastante útil. Ela permite fazer uma análise profunda das finanças do empreendimento para encontrar possíveis falhas e poder atuar de forma a corrigi-las.

Neste artigo, você vai conferir que é auditoria contábil, como e quando fazê-la, além de descobrir suas vantagens e o que fazer com o resultado. Continue a leitura e saiba mais!

O que é auditoria contábil?

A auditoria contábil consiste em fazer uma análise da situação financeira da companhia para ter certeza de que os controles contábeis têm funcionado corretamente. A partir dela, é possível avaliar a precisão dos registros relacionados, verificar se há falhas de controle ou fraudes e irregularidades que possam comprometer a gestão.

Para isso, são analisados todos os documentos contábeis da empresa de um determinado período, e conduzidas inspeções internas para verificar informações, em comparação com comprovantes originais ou com fontes externas.

Entre os documentos comumente auditados estão: o fluxo de caixa, o balanço patrimonial e a Demonstração do Resultado do Exercício (DRE).

Qualquer empresa, independentemente de seu porte, pode se beneficiar de uma auditoria contábil para descobrir se as contas da companhia estão corretas. Ao final do processo, é possível conhecer a realidade financeira da organização: seus problemas, suas causas, suas consequências, bem como correções úteis.

Quais são as vantagens de aplicar uma auditoria contábil?

Esse tipo de auditoria não se limita a um relatório técnico situacional. A ideia principal por trás dela é traduzir um controle maior da contabilidade em novas estratégias e projetos para aumentar a eficiência do negócio. Conheça alguns benefícios:

Transparência

Não dá para falar em auditoria sem citar a busca de um gestor responsável e ético por uma empresa que segue as leis e seus princípios.

Por um lado, esse processo ajuda a eliminar qualquer indício de fraude ou falha contábil. Por outro, é uma das formas mais eficientes de demonstrar aos acionistas a situação real da empresa, como sua saúde financeira, segurança e sua capacidade de crescimento para o futuro.

Economia

Um benefício interessante da auditoria contábil é trazer uma visão prática e completa da área dentro da empresa — sua performance financeira, o impacto de obrigações fiscais, a capacidade de lucro etc.

Todos esses dados, quando bem utilizados, podem servir para otimizar, automatizar e redesenhar processos administrativos que utilizem melhor os recursos que você tem disponível, ou seja, transformam eficiência financeira em vantagem competitiva.

Previsibilidade

Quando seu controle contábil é mais ajustado, fica bem mais fácil prever como a empresa vai se comportar financeiramente em diversos cenários — desde picos de demanda até as crises.

Uma visão completa de seus dados contábeis vai permitir uma previsão melhor de lucros e encargos — informações que podem ser cruciais para definir quais serão as próximas estratégias de negócio visando sempre o seu crescimento e a sua consolidação.

Quando fazer uma auditoria contábil?

Contratar uma auditoria é uma decisão a ser tomada quando o gestor quiser se certificar de que os controles são suficientemente eficientes e de que, caso não o sejam, é o momento de atuar para corrigi-los. Afinal, é sempre importante conhecer a real situação financeira da companhia.

Assim, se houver suspeitas de desvio de verbas, por exemplo, a auditoria contábil pode verificar se há problemas e onde eles ocorrem. A auditoria contábil também é comum quando a companhia vai receber investimentos ou está em processo de fusão ou aquisição.

Como é feita uma auditoria contábil?

O processo de auditoria contábil é realizado conforme o estabelecido pelas normas brasileiras e dividido em etapas. Veja, a seguir, quais são elas:

  • pesquisa ambiental — é a fase de reconhecimento para entender as operações, coletar informações e consultar os documentos da companhia;
  • planejamento de auditoria — a partir das informações obtidas, o auditor escolhe as estratégias mais efetivas e eficientes;
  • controle interno — aqui, o sistema e os controles contábeis são documentados e avaliados para encontrar os pontos fortes e fracos do sistema;
  • teste de controle — a ideia é determinar se os procedimentos de controle interno estão funcionando efetivamente e dentro das regras estabelecidas;
  • teste substantivo — é o método usado para confirmar a precisão dos valores e de outras informações retiradas das demonstrações contábeis;
  • parecer do auditor — para finalizar, os resultados dos testes são avaliados, a adequação das demonstrações contábeis é revisada, e o parecer de auditoria é concluído.

Porém, nem sempre há problemas. O resultado da auditoria contábil pode concluir que os processos estão adequados e têm sido bem executados — e aí é só manter as melhores práticas.

Embora o trabalho da auditoria interna seja idêntico ao da externa, usando as mesmas técnicas e com a atenção voltada para os mesmos controles, é comum que a interna seja uma coordenação dentro da empresa, enquanto a externa busque comprovar as DREs. É importante, portanto, que elas unam seus trabalhos para que não haja repetições na execução das tarefas.

O que fazer com o resultado da sua auditoria?

Do que adianta fazer um planejamento interno ou investir em uma auditoria externa se os diretores da empresa não estão preparados para lidar com o resultado que têm em mãos?

Essa situação é mais comum do que você imagina. Uma auditoria não tem validade se ela não for a origem de novos projetos para regularização.

Sendo assim, a primeira ação é identificar e corrigir o que está errado. É preciso determinar e separar o que é falha (quando há erros na aplicação e registro de dados contábeis) e o que é fraude (quando essa anomalia é intencional).

Falhas não intencionais geralmente são o resultado de processos mal desenhados, excesso de tarefas manuais no trabalho (como a insistência no uso de planilhas) e falta de um gerenciamento de dados integrado.

Já as fraudes muitas vezes são caso de polícia. É obrigação da ética do seu trabalho encontrar o responsável e regularizar a situação o quanto antes — principalmente com o governo, se for o caso.

Contudo, mesmo que a auditoria não encontre irregularidades, isso não significa que a sua função está terminada. A auditoria contábil é uma grande fonte de informações para o redesenho da utilização de recursos e até dos processos produtivos.

Afinal, o que determina o sucesso em um mundo corporativo cada vez mais dependente de dados é a sua capacidade de coletar, analisar e reagir a eles. A auditoria contábil é um grande exemplo disso, pois é uma ferramenta para livrar sua empresa de falhas, otimizar sua gestão financeira e ainda dar previsibilidade para o seu negócio no futuro.


Baixe nosso e-book “Manual do Planejamento Contábil de Sucesso” e confira dicas incríveis para começar hoje mesmo um planejamento contábil mais eficiente!

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.