Custo total de propriedade: como calcular o TCO do seu ERP?

Custo total de propriedade: como calcular o TCO do seu ERP?

Na busca pela superação da concorrência, é comum que as empresas se interessem por novas formas de melhorar a qualidade, produtividade, eficiência e, ainda, reduzir custos onde for possível.

Nesse sentido, saber o que considerar no cálculo do custo total de propriedade é um meio de facilitar essa otimização. Além disso, com a ascensão da tecnologia e dos sistemas ERP, conhecer esse processo tem se mostrado cada vez mais importante. Por conta disso, falaremos a seguir sobre o cálculo do TCO de um ERP e como ele deve ser feito. Quer saber mais? Vem com a gente!

O que é o custo total de propriedade?

O Custo Total de Propriedade — ou TCO — é uma metodologia para análise de custos a longo prazo, popularizada na área de TI por volta do final dos anos 90. O conceito difere do TCA — o Custo Total de Aquisição — que também é muito popular entre os gestores da área, mas tem foco, como o próprio nome diz, em custos de aquisição.

A importância do TCO se dá, principalmente, por conta da sua característica de longo prazo, que fornece mais precisão a projetos, permitindo que planejamentos sejam realizados de forma mais fiel à realidade. Desse modo, é possível defender mudanças estratégicas no negócio e ter, por exemplo, mais embasamento na hora de investir em questões de grande impacto.

Como se faz o cálculo do TCO de um ERP?

Ao calcular o TCO de um ERP, é preciso, primeiramente, dividir os custos em três principais tipos: custos de compra, de implementação e de suporte.

Custos de compra

Essa etapa abrange a compra de dispositivos e sistemas que farão parte da estrutura do negócio, tanto em processos de expansão, quanto na substituição de tecnologias. Esse processo também inclui o tempo gasto na realização das pesquisas de mercado necessárias para definir plataformas e parceiros.

Custos de implementação

Normalmente, esses custos abrangem a contratação de consultoria externa, configurações de software, possíveis alterações em servidores e processos relacionados à instalação de dispositivos e sistemas.

Custos de suporte

Aqui, deve-se incluir todos os custos com garantias, licenças e atualizações, além de investimentos posteriores com recursos humanos e parceiros de suporte.

Esses custos também podem ser categorizados de acordo com a origem das suas operações. Ou seja, custos diretos ou indiretos. A grande diferença aqui é que os custos diretos podem ser quantificados, já os indiretos, não.

No primeiro grupo, podem ser incluídas aquisições e investimentos calculáveis. Os custos indiretos normalmente estão ligados ao usuário final. Aqui, incluem suportes eventuais, processos de reparação e outros contratempos.

O que considerar no cálculo do TCO de um ERP?

Abaixo, confira alguns pontos que devem ser considerados no cálculo do TCO de um ERP.

Custos de instalação e integração

Ao implementar um sistema é necessário garantir que tudo funcionará dentro dos padrões de segurança e estabilidade necessários. Para isso, o TCO do ERP deve incluir elementos como os custos com migração de dados, testes de infraestrutura e sistemas, além de outros aspectos relacionados.

Custos de treinamento de equipes

É comum esquecer que, por mais eficiente que seja, um ERP ainda depende de colaboradores capacitados para operá-lo corretamente. A solução para isso é investir em treinamentos e formas de obter esse conhecimento. Portanto, considerar a capacitação da equipe no TCO é fundamental para um cálculo preciso e economizar tempo.

Upgrades futuros

À medida que o negócio cresce, é natural que as necessidades do ERP precisem ser adaptadas, seja por conta da implantação de novos módulos, inserção de novos operadores ou atualizações específicas. Dessa forma, os custos com essa escalabilidade devem ser calculados, já que podem representar uma despesa futura, oriunda da implantação do sistema.

Portanto, é possível perceber que, para garantir a redução de custos durante todas essas fases, é fundamental contar com um parceiro especializado e que ofereça um ERP de alta performance, gerando o mínimo de despesas possível, no futuro.

Entendeu o que deve ser considerado no cálculo do custo total de propriedade do ERP? Quer saber como implantar o ERP ideal para o seu negócio? Então, confira como escolher um ERP de alta performance!


Quer conhecer mais sobre ERP e saber os módulos disponíveis para sua empresa? Então, baixe agora mesmo nosso e-book gratuito Guia dos Módulos ERP e entenda as diferenças e saiba como escolher os melhores módulos para seu negócio:

CTA modulos erp primeira versao com borda 01 1 3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.