Tabela de imposto de renda: conheça as principais mudanças em 2017

Embora as principais regras se mantenham, a Receita Federal acrescentou algumas novidades para a declaração do Imposto de Renda de 2017. Dessa vez, a emissão das informações poderá ser feita por meio de um único software, sem a necessidade do Receitanet.

Sobre as demais alterações, não há motivos para alarde, os valores referentes à dedução de gastos, os prazos para restituição e alguns aspectos na tabela de Imposto de Renda permanecem idênticos aos de 2016.

Leia também: Obrigações fiscais 2017: conheça as novidades!

Organizamos, neste post, as mudanças mais relevantes na tabela de Imposto de Renda 2017. Acompanhe!

Preenchimento automático de nomes

Neste ano de 2017, o sistema passou a fazer o preenchimento automático dos nomes no momento em que se digita as informações referentes ao CPF ou CNPJ.

A ferramenta da Receita Federal mantém o nome ou razão social após o primeiro preenchimento, sendo que o recurso poder ser desativado em “Menu — Ferramentas — Recuperação de Nomes”.

Novas fichas de rendimentos

Os formulários que se referem aos “Rendimentos isentos e não tributáveis” e “Rendimentos sujeitos à tributação exclusiva/definitiva” foram reformulados de modo que o contribuinte relacione somente os rendimentos obtidos.

Ou seja, atualmente, o sistema apresenta as abas “Rendimentos” e “Totais”, sendo os dados inseridos em “Rendimentos”, ao se fazer a seleção no “Tipo de Rendimento”.

Requisição de e-mail e número de celular

Atualmente, o programa passa a requerer que o contribuinte forneça seu endereço de e-mail e número de telefone.

Todavia, informar esses dados não é obrigatório. Atualmente, a Receita Federal analisa mecanismos para se valer desses dados em favor de uma melhor comunicação com os declarantes.

CPF de dependentes a partir de 12 anos

A Receita passa a requerer que se informe o número de CPF de dependentes com idade equivalente a 12 anos completos até 31/12/2016 ou maiores de 12 anos.

No caso da emissão da declaração de imposto de renda no modelo completo, se o dependente não portar CPF no momento em que é feita da declaração do IRPF, não poderá gozar dos benefícios referentes às deduções.

Limitação das deduções

O limite de dedução anual é de R$ 2.275,08 por dependente. Já o limite anual de despesas com educação se manteve em R$ 3.561,50. Para os gastos com saúde, as deduções permanecem sem teto, isto é, o contribuinte tem a possibilidade de declarar tudo aquilo que foi gasto.

Já o teto de abatimento da contribuição patronal da Previdência Social, que incide sobre o salário do empregado doméstico, na declaração do Imposto de Renda 2017 é de R$ 1.093,77.

Imposto a pagar

Se, eventualmente, o contribuinte tiver impostos a pagar, essa quitação poderá ser parcelada em até oito cotas mensais, todavia, nenhuma delas pode ser inferior a R$50. Mas se o imposto devido for menor que R$100, deverá ser quitado em cota única.

Sendo que a primeira cota, ou a única, deve ser quitada até o dia 28 de abril e, as posteriores, até o último dia útil de cada mês, incidindo juros.

Há a possibilidade também de antecipar, total ou em valor parcial, o pagamento do imposto ou das respectivas cotas, não sendo necessário gerar uma Declaração de Ajuste Anual retificadora.

Também é autorizado ampliar a quantidade de cotas do imposto previsto inicialmente na Declaração de Ajuste Anual, desde que até a data de vencimento da última parcela.

Agora que já sabe quais as alterações na Tabela de Imposto de Renda em 2017, que tal assinar a nossa newsletter? Assim você fica a par das novidades que postamos regularmente!

 

Mídia Social:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *