Software ERP na nuvem ou local: qual a melhor opção para sua empresa?

erp-local-ou-em-nuvem-mxm-sistemas-01A adoção de um software ERP (Enterprise Resource Planning) traz inúmeros benefícios para um empreendimento, como melhora nos fluxos informacionais e agilidade nos processos de trabalho. A redução de erros, maior confiabilidade de dados e entrega de relatórios precisos sobre o estado do negócio também são pontos positivos.

Todavia, ao optar por um sistema assim, o gestor precisa decidir entre uma solução na nuvem (cloud computing) e uma local, o que pode gerar dúvidas.

Para ajudar nesse desafio e permitir que a escolha seja a mais acertada possível, separamos as principais diferenças entre ambos com base em critérios que influenciam no desempenho dessas soluções junto às organizações. Confira!

Leia mais: Como funciona o Sistema ERP?

O que é um software ERP na nuvem e local?

Ainda que essa dúvida possa assombrar muitos gestores que se deparam com o conceito pela primeira vez, não há motivos para alarde, afinal, a diferença básica entre o sistema ERP local e um ERP em nuvem é muito simples.

Um ERP local, também conhecido como on-premise, é instalado localmente nos equipamentos de hardware e servidores da empresa que fará o uso de suas funcionalidades e, paralelamente, é gerenciado pela própria equipe de TI da organização.

Por outro lado, o ERP em nuvem, também chamado de SaaS (Software as a service), é disponibilizado como um serviço de assinatura e não exige instalação, afinal, seu acesso é viabilizado por meio de conexão com a Internet.

Isto é, em uma solução de gestão ERP em nuvem, as informações da empresa ficam armazenadas no servidor da organização fornecedora do sistema, e são acessadas via web — daí vem o termo “em nuvem”.

Desse modo, para utilizar o sistema, a empresa deve apenas contar com um navegador e acesso à internet, sendo todo o suporte e gestão fornecido pela empresa desenvolvedora da ferramenta contratada.

Em contrapartida, conforme anteriormente aludido, o sistema ERP local ou on-premise é instalado em um ambiente local, não sendo possível seu acesso de outro lugar, senão enquanto no escritório da empresa, inclusive, sendo esse um fator que faz com que muitos considerem melhor nuvem do que um ERP implementado localmente.

Investimentos e custos

Um ERP local geralmente precisa de investimentos maiores para a sua implantação. Esses podem envolver aquisição de espaço físico e de infraestrutura (servidor ou outros hardwares) para manter o sistema em funcionamento, armazenar arquivos gerados etc.

Também é preciso adquirir licença para sua utilização, podendo ser necessário contratar pessoal especializado para implementá-lo ou realizar manutenções. O investimento em treinamento para a equipe de TI gerenciá-lo entra na conta, além do tempo gasto para customizá-lo conforme as necessidades da empresa.

O sistema em nuvem frequentemente possui valor mais acessível, já que pode ser contratado em forma de uma assinatura mensal. As fornecedoras oferecem pacotes conforme o porte e necessidades de diferentes tipos de organizações. Também segmentam valores de acordo com serviços agregados (suporte, manutenção, customização, infraestrutura, atualização, treinamento, segurança etc.).

Segurança de dados

Um ERP local possui sua segurança atrelada aos procedimentos e equipamentos da própria organização, sendo a equipe de TI responsável por ela. Dessa forma, cabe à própria empresa adotar ferramentas de proteção em relação a ataques virtuais, tentativas de roubos de dados e defesa contra fraudes no sistema.

Vai ser preciso, também, investir em equipamentos de armazenagem para realizar backups dos arquivos gerados e manipulados no software.

Já em um ERP na nuvem, a segurança dos dados fica a cargo da fornecedora da solução. Comumente, ela integra serviços de recuperação e backup para casos de panes ou outros problemas no software, além de contar com medidas preventivas que visam proteger o acesso às informações.

Mobilidade e acessibilidade

No quesito mobilidade, os ERPs na nuvem podem levar vantagem, já que nascem voltados para a web, sendo a maioria nativos móveis. Ou seja, são planejados desde o começo para se adaptarem a dispositivos eletrônicos de diferentes tamanhos e tipos.

Isso potencializa a acessibilidade, a qual pode ser feita via web, de qualquer lugar do mundo onde se tenha conexão com a internet, 24 horas por dia.

ERP local também pode ter boa mobilidade e acessibilidade. Porém, a versão móvel dependerá da equipe de TI (ou da desenvolvedora) para ser criada, seja adaptando-a da tradicional ou confeccionando um aplicativo do zero e integrando-o com as informações da ferramenta principal.

O acesso ficará vinculado ao funcionamento do servidor que hospeda o ERP na empresa. Sendo assim, se ele é desligado de noite ou não possui bom desempenho, a conexão será prejudicada.

Flexibilidade e Agilidade

ERPs na nuvem geralmente são responsivos e intuitivos, adaptando-se a qualquer mídia e podendo ser facilmente manuseados. Possuem bons níveis de personalização e configuração simplificada, de modo que sua implementação na empresa geralmente é rápida. Também são ágeis e leves para funcionarem bem em conexões limitadas.

Os sistemas locais possuem frequentemente melhor customização, já que são instalados e moldados de acordo com os processos organizacionais. Podem ser mais complexos e com mais funcionalidades, enquanto que os hospedados na nuvem primam pela simplicidade para se adequarem a vários tipos de negócios.

Como saber se é melhor nuvem ou local?

Conforme é possível notar, existem algumas variáveis a serem consideradas. Estão disponíveis também diferentes opções disponíveis no mercado, tanto para organizações de grande porte, como para pequenas e médias empresas.

E, mesmo diante de tamanha oferta, nos mais variados modelos, é possível afirmar que as estruturas de implementação de ERP baseados em nuvem estão fazendo com esse tipo de software se torne mais acessível, o que faz com que muitos avaliem como melhor nuvem do que a ferramenta no modelo local.

Em contrapartida, as soluções de ERP locais proporcionam algumas vantagens em relação à personalização e controle. Essa customização, é claro, tem um preço, tornando esse tipo de software mais onerosos do que se comparados aos fornecidos na nuvem.

Além disso, os sistemas ERP implementados localmente, normalmente, exigem um custo de manutenção e esse pode aumentar com o passar do tempo, dependendo do crescimento da empresa.

É importante também lembrar que o cloud computing, ou seja, o fornecimento de soluções na nuvem é uma tendência. Isto é, muitas companhias de ERP local estão em meio a uma fase de transição para o sistema em nuvem.

Logo, se o gestor ainda não deliberou sobre qual modelo implantar na empresa, esse deve ser um fator importante a levar em consideração.

Finalmente, vale destacar que a solução em nuvem vem ganhando destaque graças à sua integração online com aplicações web, além de estar alinhada com a tendência de avanço do cloud computing, conforme já mencionamos. Inclusive, muitas empresas brasileiras já estão migrando para a nuvem.

Afinal, a acessibilidade móvel é uma realidade cada vez mais presente, sendo explorada tanto no que diz respeito ao entretenimento e mídias sociais, como no mundo corporativo e, falando de uma solução ERP, isso só é possível via nuvem.

Com base nessas informações, e após analisar as principais necessidades de desempenho e funcionalidades do seu negócio, já é possível escolher o melhor software ERP.

Não deixe também de entrar em contato conosco, manifestar suas necessidades e saber o que podemos fazer pela sua empresa!

Mídia Social:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *