Saiba quais são os tipos de nota fiscal e entenda as diferenças entre elas

Hoje, mais do que nunca, as empresas sofrem com a forte tendência de buscar a modernização em seus processos. Quando relacionamos isso com os tipos de nota fiscal, a coisa não muda de figura.

Por isso, muitas empresas já começaram a adotar o modelo eletrônico, descartando a tradicional versão feita em folha de papel, garantindo assim o cumprimento das novas exigências impostas pelo fisco. Então, se você quer fazer a sua empresa crescer, está na hora de mudar!

Para ajudá-lo nessa tarefa, desenvolvemos este artigo. Nele, vamos mostrar quais são os principais documentos fiscais e explicar como cada um deles funciona. Confira!

 

Afinal, como funcionam os diferentes tipos de nota fiscal?

As notas fiscais têm como seu principal objetivo transferir as informações eletronicamente por meio do seu formato XML. Assim, os principais órgãos fiscalizadores conseguem analisar como estão as operações comerciais de cada empresa. Entre os órgãos destacam-se:

  • Secretaria da Fazenda do Estado (SEFAZ);
  • Receita Federal do Brasil (RFB);
  • prefeituras municipais.

No Brasil, grande parte das empresas operam com vários tipos de nota fiscal. Entre elas, as mais presentes no dia a dia são:

Nota Fiscal Eletrônica (NF-e)

A Nota Fiscal Eletrônica é um dos modelos que mais faz-se presente no cotidiano de uma empresa. Isso porque a sua finalidade é registrar a transação comercial de um produto ou serviço.

A partir de sua elaboração, o fisco está apto a recolher o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). Lembre-se de que a sua validação só é garantida por meio de uma assinatura digital.

Nota Fiscal de Serviço Eletrônica (NFs-e)

Esse modelo de nota fiscal foi desenvolvido para viabilizar a comunicação tributária entre a prestação de seus serviços com a prefeitura do município em sua cidade.

Conforme elaborada, o contribuinte transmite os informativos de seus serviços por meio do RPS (Recebimento Provisório de Serviços), vinculado ao próprio sistema da prefeitura. Com isso, houve a redução de custos para ambas as partes, garantido o maior controle sobre a arrecadação do ISS.

Sendo emitido apenas em formato XML, é interessante que você o arquive por pelo menos 5 anos. No caso de acontecer alguma auditoria fiscal em sua empresa você estará resguardado.

Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC-e)

É um tipo de nota fiscal que é emitida a cada venda para o consumidor final, que não seja contribuinte de ICMS. O seu atual modelo foi criado para substituir o antigo cupom fiscal, apesar de não ser obrigatória em todos os estados brasileiros.

A sua elaboração serve para descrever o que foi comprado por cada consumidor abordando alguns fatores. Os mais comuns são:

  • identificação jurídica da loja;
  • condições do pagamento;
  • data e hora;
  • descrição da mercadoria.

Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e)

Se você trabalha com transporte, já deve ter ouvido falar em CT-e. Afinal, a sua responsabilidade é registrar a prestação sobre esse tipo de serviço.

Então, quando for preciso emitir o CT-e, fique atento para que as informações do remetente e destinatário sejam semelhantes àquelas informadas na nota fiscal eletrônica. Para isso, confira alguns dados como:

  • valor da mercadoria;
  • montante do ICMS;
  • código fiscal de operações e prestações (CFOP);
  • descrição do produto;
  • peso e volume.

Se todos esses procedimentos forem feitos, é possível reduzir os custos que, na maioria das vezes, impactam negativamente em suas atividades.

Esperamos que esse post tenha lhe ajudado a entender a importância e a aplicação dos diferentes tipos de nota fiscal. Assim, fica muito fácil reduzir qualquer tipo de problema com a legislação fiscal brasileira, não é mesmo?


Este conteúdo foi relevante para você? Deseja receber outras notícias sobre temas afins? Então, assine a nossa newsletter!

Seu nome

Seu e-mail

Mídia Social:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *