Orçamento anual: 5 passos para a sua empresa

Saber como a empresa vem se desenvolvendo é essencial para que o seu resultado seja o esperado. Assim, é importante saber, por exemplo, quanto a organização pode gastar, quanto consegue investir, qual a previsão de vendas, qual a estimativa de lucro e a sazonalidade do negócio, entre outros pontos que sejam relevantes.

As respostas para essas perguntas vêm com o uso de indicadores e ferramentas de controle, bem como de um bom orçamento — com previsão de receitas e despesas. Sem ele, há grandes chances de erros que podem resultar até na necessidade de tomada de medidas extremas, como o corte de custos nas áreas erradas.

O orçamento anual leva a companhia a melhorar, aprimorar e verificar o que está fazendo de certo e errado, bem como a rever e planejar melhor o negócio.

No post de hoje, falamos sobre como elaborar um orçamento anual que ajude a empresa a conquistar um diferencial competitivo no mercado em que atua. Boa leitura!

O que é um orçamento anual?

O orçamento anual pode ajudar a empresa a se preparar para os desafios do futuro (e receber novos investimentos), corrigir falhas na alocação de recursos e reduzir despesas no próximo exercício. É comum, porém, que as companhias o vejam apenas como forma de remediação emergencial.

Por isso, há tantos fracassos. Afinal, administrar o dinheiro da empresa da forma certa é fundamental para o sucesso dos projetos. A falta de controle financeiro leva muitas instituições a fecharem as portas, mas com um orçamento anual, elas podem prever quanto receberão e em que gastarão durante um determinado período.

Qual a melhor forma de elaborá-lo?

É preciso ter em mente que o orçamento anual deve estar alinhado ao plano de negócio da empresa. Algumas técnicas ajudam a organização a ter dinheiro suficiente para investir e ainda pagar suas contas rotineiras. Conheça algumas delas a seguir!

1. Análise

Para elaborar o orçamento anual, é preciso, primeiro, analisar como foram os negócios nos períodos anteriores. A ideia é fazer um diagnóstico de receitas e despesas, verificar a média dos negócios, as sazonalidades, os gastos comuns e outros com base em indicadores adequados.

2. Objetivos

Depois de analisar os dados disponíveis, é preciso traçar os objetivos factíveis para o período seguinte. Isso ajuda a decidir quais áreas devem receber quais recursos (o que será ampliado, revisto ou eliminado, quais os investimentos projetados e assim por diante). Uma consulta ao plano de negócio pode ajudar nesta etapa.

3. Projeção

A projeção indica a estimativa de receitas, os gastos fixos (com recursos humanos, aluguel, contas e outros), a provisão de capital de giro, os custos fiscais, a compra de matéria-prima, a aquisição de equipamento, a projeção de crescimento e outros.

4. Flexibilidade

Imprevistos são uma constante no mundo corporativo e, por isso, é importante ter em mente que é necessária certa flexibilidade no orçamento anual. Além disso, dependendo da necessidade, é importante saber se é preciso revisá-lo para que fique mais adequado à realidade e não limite o crescimento.

5. Acompanhamento

Todos os departamentos devem participar da elaboração do orçamento anual, bem como da sua implementação e do seu acompanhamento. Assim, toda a equipe vai trabalhar no sentido de colocá-lo em prática e a conquista dos objetivos ficará mais fácil.

Já está preparado para elaborar o orçamento anual de 2018? Então confira o post “Agenda fiscal 2018: as obrigações mais importantes para a sua empresa” e fique por dentro das datas importantes que podem afetá-lo!

Mídia Social:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *