Inteligência cognitiva: como usá-la no processo de recrutamento e seleção?

Com o desenvolvimento da tecnologia digital e da inteligência artificial, coisas que pareciam obras de ficção, hoje são parte do dia a dia de diversas áreas, especialmente a de Recursos Humanos. E essas mudanças tendem a crescer com a chegada do conceito de inteligência cognitiva ao mercado. Pode parecer algo distante para muitas pessoas, mas é um recurso cada vez mais difundido.

Você já deve conhecer esse termo de outros lugares. De forma simples, ele se refere à capacidade que uma pessoa tem de aprender mais. É um conjunto de habilidades que permitem ao cérebro absorver e entender o seu meio. Esse conceito também é aplicado aos sistemas de gestão utilizados no processo de seleção e recrutamento.

Investir nesse tipo de tecnologia pode beneficiar muito seu RH, acelerando a captação de talentos e ajudando você a tomar decisões importantes. Para esclarecer melhor isso, trouxemos aqui algumas das vantagens da inteligência cognitiva para o seu processo de seleção. Confira:

Informação individualizada sobre os candidatos

Quando os profissionais de RH estão decidindo quais candidatos devem ser contratados, eles avaliam muito mais do que o currículo. Perfil profissional, histórico de trabalho, experiência e até algumas atitudes tomadas no dia a dia. Se o indivíduo não está em sintonia com a filosofia da empresa, dificilmente se dará bem nesse meio.

Por meio desse sistema, é possível captar dados muito mais refinados sobre cada candidato, criando um perfil ainda mais elaborado e detalhado. Isso é importante tanto na hora de filtrar os melhores candidatos em um processo seletivo quanto na hora de buscar profissionais para preencher funções específicas na empresa.

Criação de análises dinâmicas

Um problema que muitos recrutadores têm é a lentidão de certos dados. Antigamente, seria necessário dedicar muito tempo a diversas avaliações de perfil, dinâmicas de grupo e outros estágios do processo seletivo. Pouco a pouco, esse tempo se acumula e logo a empresa teria apenas uma ou duas contratações por semestre, dependendo da importância do cargo.

Com a inteligência cognitiva, é possível criar tabelas, gráficos e outras formas de análise que facilitam a sua tomada de decisão. E graças ao constante influxo de dados e identificação de padrões, tudo se manterá dinamicamente atualizado com o mínimo de input. É a melhor maneira de poupar tempo e energia para outras tarefas mais produtivas.

Aprimoramento constante dos procedimentos

Por fim, mas não menos importante, a parte “cognitiva” desse sistema, como já mencionamos, permite a ele se aprimorar regularmente. Identificar novos padrões e criar maneiras mais eficazes de lidar com as situações do dia a dia é fundamental para melhorar o próprio desempenho.

Com o amplo acesso a dados e capacidade de processamento, a máquina pode sinalizar essas mudanças bem mais facilmente. Se você já trabalha para refinar seu processo seletivo enquanto profissional de RH, então, esse recurso será muito útil para você.

Com esse conhecimento, você já está pronto para adotar a inteligência cognitiva em seus processos de recrutamento e seleção. Quer se atualizar ainda mais para manter a qualidade do seu RH? Então, veja algumas dicas para recrutar a nova geração em sua empresa.


Quer conhecer mais sobre uma ferramenta para aprimorar seu processo de recrutamento e seleção? Cadastre-se clicando no banner abaixo e teste o MXM-Recruitment por 30 dias gratuitamente!

Mídia Social:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *