Glossário de TI MXM: o que é e para que serve um backup?

34269-glossario-de-ti-o-que-e-e-para-que-serve-um-backupO uso de sistemas digitais em ambientes corporativos nunca esteve tão integrado às estratégias das empresas. Ferramentas de TI são implementadas para a criação de serviços mais inovadores, desenvolvimento de políticas operacionais mais estratégicas e o planejamento de produtos mais eficientes. Assim, negócios podem ter um grau de competitividade maior, atendendo a mercados com mais facilidade e segurança.

Esse cenário levou a criação de ambientes digitais com grande circulação de dados. Bancos de dados e servidores já são utilizados para armazenar registros financeiros, projetos e estratégias de mercado. Diante disso, a criação de uma política que seja capaz de garantir a confiabilidade das informações utilizadas no ambiente corporativo.

As políticas de backup podem ser implementadas por meio de diversas estratégias. Hoje, o mercado possui um conjunto variado de soluções de armazenamento, com preços e características próprias.

Quer saber mais sobre cada uma delas? Então, veja o nosso texto de hoje e saiba tudo sobre o que é um backup e a realização dele em ambientes corporativos!

O que é um backup?

Podemos definir uma política de backup como um conjunto de rotinas que pretende criar cópias de informações armazenadas em meios digitais. Elas devem ser executadas em intervalos regulares, de tal foram que seja possível desenvolver um histórico de modificações amplo.

Por meio do backup, empresas podem recuperar rapidamente dados que tenham sido removidos ou corrompidos após uma falha operacional. Além disso, a confiabilidade de sistemas é garantida. Sempre que alguma ferramenta ficar indisponível, será possível restaurá-la para um estado anterior rapidamente.

Como o backup pode auxiliar uma empresa?

Em uma época onde corporações possuem tecnologias profundamente integradas aos seus processos operacionais, garantir a confiabilidade de seus sistemas de armazenamento de dados, assim como das suas soluções de TI, é algo crucial para o sucesso de um negócio. Gestores de TI devem investir em formas de tornar a infraestrutura de serviços digitais mais confiável e com maior capacidade de resposta a falhas operacionais.

Nesse sentido, a criação de uma política de backup pode ser vista como uma forma de tornar a gestão de dados mais confiável. O armazenamento de cópias de arquivos, bases de bancos de dados e outras informações faz com que o negócio fique mais preparado para enfrentar diversos problemas.

Assim, a empresa ganha uma vantagem competitiva frente a seus concorrentes, uma vez que os dados de terceiros serão mais confiáveis e estarão mais protegidos contra falhas operacionais.

Principais técnicas de backup

O backup de dados no meio corporativo pode ser feito por meio de diversas técnicas. Gestores devem avaliar as demandas de cada setor, assim como a quantidade de recursos financeiros, para planejar uma política de segurança digital que esteja alinhada com o perfil do negócio.

O intervalo de criação de cada cópia, por exemplo, variará conforme a frequência com que dados são modificados, além da importância que eles possuem para a empresa. Registros de projetos antigos, por exemplo, podem ser copiados para uma mídia de backup uma única vez, já que eles não serão mais modificados.

Por outro lado, o backup de bancos de dados com informações sobre transações financeiras (que possuem um valor maior e são modificados diariamente) deve ser feito em intervalos curtos.

Nessa conjuntura, a escolha da mídia utilizada para o armazenamento de informações é um dos aspectos mais importantes da política de backup da empresa. Cada opção disponível no mercado possui tempos de leitura, valores de aquisição e confiabilidade diferentes.

Uso de mídias externas

O uso de mídias externas (como DVDs, CDs e pen drives) é adotado pode vários empreendimentos diante do baixo custo e a alta versatilidade que essa opção possui. Mas, ainda que essa estratégia torne o transporte de informações mais simples, ela pode acabar representando uma grande falha de segurança para a empresa. Vale destacar, também, que as chances de um dado ser corrompido nesse cenário podem ser maiores, como veremos adiante.

CDs e DVDs, por exemplo, por muitos anos foram as principais opções de vários profissionais. Apesar do baixo custo desse tipo de mídia, ela pode ser facilmente danificada, corrompendo ou tornando dados inacessíveis. Além disso, dados que são modificados continuamente não podem ser modificados após a gravação dos mesmos, o que reduz os seus cenários de uso.

Já os HDs externos não apresentam alguns problemas que CDs e DVDS possuem, por permitirem a gravação contínua de dados. Por outro lado, discos rígidos podem ser corrompidos por meio de interferências eletromagnéticas. Além de também serem fáceis de serem roubados, danos físicos podem afetar a leitura de dados.

Vale destacar, também, o uso de pen drives. Eles possuem uma alta velocidade de leitura e não são afetados por interferências eletromagnéticas. E por serem utilizados em dispositivos pequenos, também podem ser roubados facilmente.

Sistemas de criptografia

Para contornar alguns problemas de segurança existentes em mídias removíveis, gestores de TI podem implementar sistemas de criptografia. Eles diminuem as chances de uma pessoa obter acesso não autorizado aos dados, uma vez que as informações serão protegidas por senhas. Assim, a empresa pode se proteger contra roubos e perda de equipamentos.

Backup na nuvem

O backup na nuvem utiliza servidores de computação na nuvem para o armazenamento de informações. Ele é caracterizado, principalmente, pela sua alta escalabilidade e o baixo preço de contratação. Além disso, o cloud backup torna o acesso remoto a dados mais simples, o que permite a recuperação de dados por meio de conexões de internet.

O investimento necessário para utilizar o cloud backup variará conforme as necessidades da empresa. Uma vez que o pagamento é feito de acordo com a quantidade de recursos contratados, a companhia passa a ter mais flexibilidade no gerenciamento da sua política de backup. E como os dados não são armazenados localmente, a segurança das informações tende a ser mais ampla.

A opção pelo backup na nuvem deve ser feita a partir de um planejamento amplo. Gestores de TI devem avaliar os diversos modelos de negócio para identificar aquele que atende melhor às suas necessidades. Assim, a empresa não corre o risco de comprometer o seu orçamento além de sua capacidade.

Já a infraestrutura deve ser avaliada conforme o tipo de dado do empreendimento. Elas se diferenciam pelo tipo de segurança e controle que podem fornecer para o usuário. Saiba mais no nosso texto com os tipos de nuvem existentes!

Mídia Social:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *