ERP e transformação digital: qual a importância para a inovação?

Compartilhe:

*Atualizado em: 24/10/2018

A tecnologia já mudou consideravelmente a forma como os indivíduos conduzem suas vidas, direta ou indiretamente. Isso inclui de aspectos comuns do dia a dia até a maneira como as empresas são administradas. Um dos efeitos dessas mudanças é a maior aproximação entre ERP e transformação digital.

Ou seja, esses dois itens são fundamentais para um negócio e você provavelmente já ouviu falar deles. Afinal, a integração das informações dos diversos setores das empresas, via ERP, é parte da transformação digital.

Talvez, porém, você ainda não os conheça ou não entenda como eles se relacionam. O fato é que um sistema de gestão integrado pode ajudar os empreendimentos a serem mais competitivos. Este post vai ajudá-lo: a seguir, explicaremos esses conceitos e mostraremos o papel do ERP na transformação digital de uma empresa.

O que é transformação digital?

Boa parte das práticas tradicionais de negócios já não faz sentido no mundo digitalizado. Afinal, atualmente tudo é muito mais dinâmico, com recompensas maiores em relação a riscos e informações que permitem tomar decisões mais acertadas.

A transformação digital vai além de apenas usar essas ferramentas no dia a dia. Seu objetivo é mudar a forma como uma empresa é estruturada e pensá-la de modo a fazê-la se adequar à nova realidade. Por isso, é preciso ter um sistema preparado para usufruir de todo esse potencial.

É essencial, então, mapear processos internos e repensá-los, de forma a priorizar a otimização das etapas. Com isso, será possível utilizar o mínimo de recursos e alcançar a máxima eficiência.

O que é ERP?

Também conhecido como sistema de gestão empresarial (Enterprise Resource Planning — ERP), ele é uma ferramenta cada vez mais comum nas organizações. Trata-se de um sistema que contribui para melhorar a gestão de recursos da empresa.

Dessa forma, quando a companhia usa um ERP, diminuem-se os gastos desnecessários e o desempenho do empreendimento pode ser acompanhado de forma mais efetiva. Ou seja, não se trata apenas de monitorar as finanças da empresa, mas todo o capital humano e até mesmo social do negócio.

Qual é o papel do ERP na transformação digital?

A partir desse conhecimento, qual é a relação entre ERP e transformação digital? A primeira conclusão é que, para se adaptar a uma nova realidade, a empresa precisa adquirir as ferramentas tecnológicas certas. E o ERP é uma delas.

O ponto de partida da transformação digital e da adoção de novas tecnologias e inovação nas companhias é a implantação de um ERP. Afinal, ele é responsável pelo gerenciamento das informações da empresa, já que permite coletar e processar todos os dados produzidos na organização.

A seguir, veja algumas das contribuições que o ERP pode trazer para o processo de transformação digital nos empreendimentos.

Personalização de ferramentas

No passado, era comum que as ferramentas de gestão fossem pesadas demais para algumas empresas. Além disso, muitas delas tinham várias funcionalidades pouco úteis para seu contexto específico e serviam apenas para dificultar a utilização da solução e atrasar o progresso da organização.

Porém, com a revolução digital, há cada vez mais ênfase na personalização das ferramentas. Assim, o produto é desenvolvido exclusivamente para as necessidades da companhia e, por isso, ele só terá as funcionalidades necessárias — o que elimina os ruídos e as possíveis dificuldades.

Integração com outras tecnologias

A ligação entre ERP e transformação digital ocorre, principalmente, por meio da integração com outras ferramentas. No mundo atual, todas as informações podem e devem estar conectadas. São essas redes de dados que melhoram a capacidade de análise em um negócio.

Assim, integrar o ERP com outras soluções, como o sistema de gerenciamento do relacionamento com o cliente (Customer Relationship Management — CRM), a inteligência artificial e outros, é o melhor caminho para se manter competitivo.

Mobilidade e praticidade de acesso

Existe muita ênfase, também, na conexão constante e fácil, principalmente graças à navegação móvel. Usar um navegador ou aplicativo de celular para ter acesso ao sistema de qualquer lugar é cada vez mais comum e contribui para a flexibilidade de inúmeras estruturas da empresa.

Como os ERPs evoluíram ao longo dos anos?

Foi a partir dos anos 2000 que surgiram os primeiros ERPs. De lá para cá, já foram muitas gerações e, hoje, há três cenários possíveis nas empresas:

  • sistemas legados: os primeiros sistemas utilizavam linguagem de programação que já caiu em desuso e, por isso, não podem mais ser utilizados (mas algumas empresas ainda tentam sobreviver com eles!);
  • servidores: muitos sistemas foram instalados em servidores locais e requerem grande investimento em infraestrutura de tecnologia da informação (TI);
  • computação em nuvem: atualmente, empresas de qualquer porte podem contratar um ERP moderno, em forma de serviço.

Como eles agregam diferencial competitivo para o empreendimento?

Os primeiros ERPs não eram tão complexos e completos como os atuais, mas já garantiam um diferencial competitivo importante para quem os adotava. Nos dias de hoje, eles são responsáveis pelo aumento de eficiência nas organizações, a partir da melhoria dos processos corporativos.

Para o futuro, há muita expectativa a respeito dos ERPs. Com a evolução tecnológica, é natural que surjam novas funcionalidades para atender às demandas mais específicas das empresas. Além disso, a flexibilidade da ferramenta deve ser destaque: com tantas tecnologias disponíveis, quanto mais flexível o ERP, melhor.

Nuvem

Ter um ERP hospedado na nuvem deve ser cada vez mais comum. Além do melhor custo-benefício, ganham-se mobilidade, acesso em tempo real, armazenamento seguro, acesso remoto para equipes, menor custo de manutenção e otimização de espaço.

Mobilidade

A mobilidade, em si, já é uma grande mudança. Os novos formatos de trabalho apresentados pela transformação digital não comportam mais os sistemas que dependem da presença de profissionais em locais físicos específicos para que possam ser acessados.

Inteligência artificial

Outro aspecto que deve ser incorporado aos ERPs é a inteligência artificial. Com a ajuda dela, essas ferramentas devem, em breve, oferecer informações e sugestões cada vez mais capazes de melhorar a produtividade nas empresas.

Segurança

Paralelamente, a segurança da informação também deve ser uma prioridade. Com ameaças cibernéticas contra as organizações cada vez mais sofisticadas, é natural que os requisitos de segurança dos ERPs sejam aprimorados para evitar vazamentos de dados.

De modo geral, além de tornar a companhia mais preparada para enfrentar a concorrência, ERP e transformação digital são o que faz os empreendimentos se tornarem mais eficientes. E isso é essencial no contexto atual em que a eficiência da gestão pode representar a sobrevivência da organização.

Como você tem lidado com isso na sua empresa? Quer se manter sempre informado sobre as novidades desse mercado? Então, assine nossa newsletter e receba nossas publicações diretamente no seu e-mail.


Baixe nosso e-book e saiba mais sobre o passo a passo da implementação de um ERP e a melhor forma de implementá-lo em sua empresa:

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.