Entenda os diferentes tipos de cloud computing: SaaS, PaaS e IaaS

saas-paas-iaas-cloud-mxm-01Cloud Computing é uma tecnologia que tem crescido no mercado, sendo impulsionada pelas maiores empresas do setor tecnológico, como Google, Microsoft, Dropbox, IBM, Amazon, Oracle, entre outras. É indicada para organizações que trabalhem com grande volume de informações e precisam de maior confiabilidade e segurança para seus dados.

Contudo, os pequenos e médios negócios também podem se beneficiar da computação em nuvem graças à economia de espaço físico e de servidores que ela propicia. Sem falar que softwares, como ERPs, baseados em nuvem são flexíveis e podem atender às necessidades de processos e fluxos de trabalho dessas empresas com grande êxito.

Existem diferentes tipos de cloud computing (públicas, privadas e híbridas) que se dividem em três variantes: Software as a Service (SaaS), Platform as a Service (PaaS) e Infrastructure as a Service (IaaS).

No post de hoje, conheça as diferenças entre esses tipos e descubra qual é o mais indicado para o seu negócio:

Software as a Service (SaaS)

Software como serviço é o mais popular dos três. Aqui o uso do software é feito mediante pagamento mensal, semestral ou anual. Quem contrata essa opção geralmente paga para utilizar o software conforme as funcionalidades que precisa. Ou seja, na maioria das vezes, não é preciso adquirir todas as funcionalidades do programa.

Muitos dos SaaS possuem versões gratuitas, sendo pagas somente opções adicionais, exclusivas ou personalizadas, além de maior espaço de dados ou contas para novos usuários.

Principais características

O acesso aos dados e informações é online. Em alguns casos, a liberação de mais funcionalidades e volume de dados requer pagamento adicional e o gerenciamento ocorre de forma centralizada.

Aplicação

As aplicações se enquadram no modelo “um para muitos” (one to many). Além disso, ele possui Applications Programming Interfaces para poder ser integrado com softwares externos.

Situações em que é indicado

Para empresas que não disponham de espaço físico e servidores, pois o software fica disponível nos servidores do fornecedor.

A opção é boa porque a empresa paga somente o que usar (quantidade de logins, armazenamento de dados, tráfego, funcionalidades necessárias etc.), o que permite controlar custos. Também vai ser ideal para negócios que precisam utilizar esses softwares por pouco tempo ou em épocas específicas.

Exemplos de uso

  • Serviços de e-mail, como Gmail e Outlook;
  • serviços de compartilhamento e armazenamento em nuvem populares, como Onedrive, Dropbox e Google Drive;
  • o pacote Microsoft Office 365 e o Adobe Creative Cloud.

Platform as a Service (PaaS)

Plataforma como serviço é uma modalidade em que a fornecedora disponibiliza uma plataforma para a empresa ser capaz de desenvolver, gerenciar ou hospedar seus softwares.

Ou seja, uma organização que precise de um ambiente seguro, eficiente e com boa infraestrutura para utilizar seus programas poderá obtê-lo por meio de um PaaS, melhorando seu rendimento.

Principais características

Possibilita acesso remoto e gerenciar sistemas operacionais, servidores, virtualização e rede. Também são plataformas completas e atualizadas constantemente pelos desenvolvedores.

Aplicação

Uma PaaS é boa alternativa para empresas que buscam desenvolver ou personalizar seus próprios programas.

Situações em que é indicado

Ele pode ser indicado quando a empresa busca escalabilidade, redução de custos com servidores e segurança de informações; quando modelos SaaS ou IaaS não suprem suas necessidades de customização etc.

Exemplos de uso

O Microsoft Azure é um exemplo de plataforma como serviço, em que a empresa pode obter suporte a diferentes sistemas operacionais, bancos de dados, dispositivos, estruturas etc. Outros exemplos são a Oracle Cloud e o IBM Softlayer.

Infrastructure as a Service (IaaS)

Infraestrutura como serviço tem como premissa a entrega de recursos computacionais de infraestrutura. Esses podem incluir capacidade de rede, servidores, quantidade de dados e espaço de armazenamento. Para tanto, são cobradas taxas periódicas pelo uso desses recursos.

Principais características

O monitoramento é avançado, possui alta escalabilidade e o pagamento pelos serviços que usar, os quais podem incluir tráfego, armazenamento etc.

Aplicação

Em organizações com alto índice de crescimento, porém com dificuldades de investir em infraestrutura. Os clientes gerenciam suas aplicações, enquanto a manutenção e hospedagem ficam por conta da fornecedora.

Situações em que é indicado

É indicado em e-commerces, pois precisam de segurança, estabilidade e estar 24 h no ar, porém consomem espaço de armazenamento e volume de tráfego com grande variação e volatilidade.

Exemplos de uso

Aluguéis de servidores físicos em data centers. Entre as empresas que disponibilizam IaaS, a IBM se destaca.

Communication as a service (CaaS)

O sistema CaaS, isto é, de comunicação como serviço, contempla as comunicações que são fornecidas diretamente na nuvem.

Assim sendo, o provedor de serviços disponibiliza ao cliente uma série de recursos, tais como: videoconferência, VoIP, PBX, VPN, bate-papo online, web callback etc.

Ou seja, o tipo CaaS corresponde a um conjunto de ferramentas de comunicação específicas realizadas diretamente via nuvem.

Principais características

Não há risco do serviço se tornar ultrapassado, afinal, os fornecedores realizam, regularmente, upgrades ou a troca do hardware e software para a manutenção da plataforma.

Aplicação

Tem maior aplicabilidade aos clientes que desejam alavancar o seu nível de serviços de comunicação sem que necessitem desenvolver uma solução própria. Desse modo, suas verbas são poupadas e realocadas, movendo esforços onde a TI se mostra ainda mais eficiente.

Situações em que é indicado

Empresas de grande porte, as quais apresentam picos de acesso e de carga de informações, demandando por maior capacidade, dispositivos, modos e área de cobertura maiores.

Exemplos de uso

Empresas de telecomunicações e de telefonia móvel.

Public Cloud

nuvem pública tem como principal vantagem dotar de uma implantação simples e rápida. Isso sem levar em consideração os custos que são bastante reduzidos. Sobre a privacidade das informações da empresa, essa também é garantida.

Principais características

Simplicidade, baixo custo e facilidade na implementação.

Aplicação

A Public Cloud costuma ser muito utilizada para em aplicações secundárias nas empresas.

Situações em que é indicada

Em síntese, esse tipo de nuvem é indicado para a hospedagem de websites, textos, conteúdos de imagem e vídeo de marketing digital e e-mail.

Exemplos de uso

Tem sido usada em larga escala por empresas que demandam por aplicativos disponíveis nesse formato de cloud, tal como o Office 365.

Private Cloud

Ainda que a nuvem privada seja um tanto mais cara, é a ideal para as empresas que atuam com um grande volume de informações, que precisam oferecer alta disponibilidade, bem como maior velocidade de resposta no processamento das aplicações.

Se tratam de servidores exclusivos, localizados no próprio local da empresa de Private Cloud, com uma infraestrutura totalmente dedicadas às operações do negócio.

Principais características

Alto custo, infraestrutura exclusiva e maior segurança da informação.

Aplicação

Corporações que atuam com grande volume de dados, e, sobretudo, com informações sigilosas sobre pessoas e empresas.

Situações em que é indicada

A Private Cloud é indicada para empresas que desejam garantir a segurança dos dados, certificando também a velocidade na consulta das informações.

Exemplos de uso

Instituições bancárias, entidades do governo ou qualquer organização que possua dados críticos.

Hybrid Cloud

Nuvens do tipo híbrida recebem essa nomenclatura quando a empresa faz uso de dois tipos de cloud computing para a manipulação de dados: local, em uma Private Cloud e uma de acesso remoto em Public Cloud, viabilizando, assim, a transferência de informações entre ambas.

Principais características

É preciso um cuidado constante com a segurança. A Hybrid Cloud também apresenta custos expressivos para implementação da infraestrutura.

Aplicação

Se aplica quando os gerentes de TI demandam por exercer total controle no processamento das aplicações, otimizando os recursos privados da arquitetura.

Situações em que é indicada

É uma estratégia muito eficiente para empresas que desejam expor parte de suas informações, contudo, mantendo a segurança e privacidade de seus dados.

Exemplos de uso

Algumas entidades jurídicas e financeiras se valem da arquitetura híbrida, sobretudo, em virtude de sua habilidade em compartilhar informações criptografadas entre os ambientes.

Como escolher o tipo mais adequado à empresa?

Em que pese as diferentes opções disponíveis, cada qual com suas vantagens, desvantagens e particularidades, o gestor deve, sobretudo, ter em mente quais são as especificidades da organização em que atua.

Com isso, terá condições de avaliar, de fto, o que a empresa precisa e quais são as soluções que mais se adequam às operações do negócio. Ou seja, com esse entendimento prévio, a análise de quais sãos os melhores tipos de cloud computing se torna mais criteriosa e as escolhas mais assertivas.

Agora que você já conhece as principais diferenças entre os modelos, que tal assinar nossa newsletter para receber mais conteúdo sobre cloud computing e transformação digital?

Mídia Social:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *